Indústria Alimentícia – 5 cuidados em processos que garantem a qualidade

A indústria alimentícia é um segmento essencial em qualquer país. Apesar dos retrocessos gerados pela pandemia, a indústria brasileira de alimentos e bebidas registrou crescimento de 16,9% em seu faturamento e de 1,3% na produção em 2021 em relação a 2020.

No ano passado, o segmento atingiu R$ 922,6 bilhões em receita, somando exportações e vendas para o mercado doméstico. Esse resultado representa 10,6% do PIB nacional – dados divulgados pela ABIA – Associação Brasileira da Indústria de Alimentos.

Em pleno desenvolvimento, a indústria alimentícia alcança bons resultados devido a adoção de cuidados nos processos industriais, que garantem a qualidade e a segurança na execução e quanto ao consumidor final. A seguir, confira 5 cuidados essenciais para o setor.

1) Ferramentas de corte de precisão com dispositivos de segurança

O corte de precisão é uma demanda comum em diferentes processos produtivos nas mais distintas empresas alimentícias brasileiras. Há muitas soluções de cortes voltadas para o setor. Desta forma, os cuidados com o tipo de corte e os componentes das ferramentas de corte são essenciais, tanto na agilidade dos processos como na segurança do produto. Isso porque as peças e resíduos destas ferramentas podem comprometer o produto em caso de acidentes e quebras durante o processo produtivo.

indústria alimentícia

A Norma desenvolveu uma linha de estiletes e lâminas de segurança completa para este segmento: a Linha Alimentícia Norma, com uma série de vantagens que tornam os processos mais seguros.

indústria alimentícia

Em suma, a linha inclui aditivo antimicrobiano e lâminas em aço inox, que proporciona ao produto maior higiene. Além disso, conta com componentes magnéticos, que possibilita a detecção do material plástico em acidentes durante o processo produtivo alimentício.

2) Criar boas práticas conforme as determinações da Anvisa

A Anvisa aponta diversas regras e determinações que embasam processos de qualidade e segurança na indústria alimentícia. Por isso, é importante conhecer as principais para criar protocolos internos:

  • Resolução RDC nº. 275, de 21 de outubro de 2002;
  • Portaria MS nº. 1428, de 26 de novembro de 1993.
  • Portaria SVS/MS nº. 326, de 30 de julho de 1997;
  • Portaria nº. 368, de 04 de setembro de 1997, aprova o Regulamento técnico sobre as condições higiênico-sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para estabelecimentos elaboradores/ industrializadores de alimentos, considerando a fiscalização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

3) Automação de processos

A automação dos processos é uma tendência em todos os segmentos produtivos, e na Indústria Alimentícia não seria diferente. Isso permite menores custos de produção, mais qualidade e controle de segurança, processos mais ágeis, melhoria contínua, controle de estoque e integração com outros departamentos, melhor comunicação e mensuração dos resultados.

4) Gestão integrada

Em suma, os cuidados com os processos industriais começam na gestão. Logo, a gestão integrada, por meios de um modelo funcional e recursos digitais, torna o processo produtivo mais seguro e qualificado. Deste modo, é na tomada de decisão que se projeta todos os cuidados necessários e boas práticas para que a indústria alimentícia tenha êxito.

5) Padronização de todas as etapas e procedimentos

Para finalizar, a padronização é peça chave para que a indústria alimentícia continue evoluindo. Inclusive, é importante que estas empresas padronizem os seus processos a fim de detectar riscos e otimizar etapas, tornando-as mais seguras e qualificadas. Padronização é controle!

Veja também: Indústria de Plástico – Conheça os estiletes especiais para este segmento

Então, o que achou das dicas sobre a Indústria Alimentícia? Inclusive, deixe o seu comentário a seguir e compartilhe estas informações em suas redes sociais. Siga a Norma no Instagram!  Veja os nossos tutoriais no Youtube!

Deixe uma resposta

Fechar Menu